Pequena e Grande Circulação Sanguínea – Veias e Artérias do Corpo

A passagem ininterrupta de um líquido num circuito tubular fechado exige a presença de uma bomba em algum ponto desse circuito.
No caso da circulação do sangue, há dois circuitos diferentes: o pulmonar e o sistêmico. A pequena circulação se estabelece entre o coração e os pulmões. A grande circulação liga o coração às demais partes do organismo.

Para o funcionamento simultâneo dos dois circuitos são necessárias duas bombas. O coração é uma bomba dupla: sua metade direita encarrega-se da circulação do sangue no circuito pulmonar; a metade esquerda, na grande circulação.

Assim, o sangue venoso, isto é, que já alimentou todos os tecidos do organismo e já lhes forneceu oxigênio, chega ao coração pelas duas veias cavas (superior e inferior). Entra pelo átrio direito do coração e, quase imediatamente, passa para o ventrículo direito. Este encarrega-se de encaminhá-lo aos pulmões, onde o sangue sofre uma depuração: perde o gás carbônico resultante das queimas celulares nos vários tecidos do corpo e ganha novo suprimento de oxigênio para redistribuir ao organismo.

Orifícios do coração
VEIAS E ARTÉRIAS

O vaso que conduz o sangue do ventrículo direito até os pulmões, para que seja oxigenado, é a artéria pulmonar. Apesar de conduzir sangue venoso, esse vaso é denominado artéria, ao invés de veia. Mas isso é explicável. Por definição, as artérias levam o sangue do coração para os órgãos, isto é, têm sentido centro-periferia.

Após circular pelo pulmão e ser transformado de venoso em arterial, o sangue retorna ao coração pelas veias pulmonares. Como no caso das artérias pulmonares, esses vasos são denominados veias, apesar de levarem sangue arterial. A direção periferia-centro é responsável por seu nome.

As veias pulmonares desembocam no átrio esquerdo; deste, o sangue passa para o ventrículo esquerdo, de onde é distribuído a todo o organismo. Deve ser ressaltado que o sangue conduzido aos pulmões pela artéria pulmonar não se destina à nutrição desses órgãos – que é feita pelas artérias brônquicas -, mas tão-somente à oxigenação em seu interior.

coração funcionamento

IRRIGAÇÃO E DRENAGEM

Na saída do ventrículo esquerdo origina-se a aorta, artéria de maior calibre do organismo, da qual derivam, direta ou indiretamente, todas as artérias da grande circulação. Seus primeiros ramos – as coronárias – se destinam à nutrição dos tecidos do próprio coração. Em seguida, a aorta descreve uma curva semelhante a um enorme ponto de interrogação (crossa da aorta), de onde se origina o tronco braquiocefálico -(artéria anônima).

Este se subdivide em carótida comum direita e subclávia direita. Sucessivamente, a aorta dá origem à carótida comum esquerda e subclávia esquerda. As subclávias irrigam os membros superiores. As carótidas encarregam-se de praticamente toda a irrigação da cabeça. O sangue venoso da cabeça, pescoço, membros superiores e tórax é coletado pela veia cava superior, que desemboca no átrio direito do coração.

Após atravessar o diafragma, a aorta passa a chamar-se abdominal, lançando ramos para todos os órgãos do abdome e para os membros inferiores. De modo geral, estes tomam o nome das estruturas que irrigam: artéria renal, artéria hepática, artéria ovariana, artéria glútea, artéria retal, e assim por diante.

O sangue que retorna das pernas e da cavidade abdominal é coletado pela veia cava inferior, que resulta da fusão das duas veias ilíacas comuns, na altura da quarta vértebra lombar. A veia cava inferior sobe à direita da aorta abdominal, passa através do diafragma e desemboca no átrio direito do coração.




Outros Conteúdos:

Emagrecer de Forma Saudável é Possível?

Aprenda os Segredos da Maquiagem Perfeita

RENDA EXTRA nas Horas Vagas (Livro Grátis)