Faringe e Amígdalas | Orgãos Humanos – Anatomia

faringe

A faringe é a segunda porção das vias digestivas (a primeira é a boca) e respiratórias (a primeira é o nariz), que nela se entrecruzam. É uma estrutura de grande resistência: por ela passam. sem causar-lhe dano, correntes de ar cuja velocidade varia entre IS (respiração normal) e 300 km/hora (tosse e espirros); também é capaz de suportar temperaturas que variam de -10° a 70°C. Além disso e do encargo de transportar alimentos ao esMago, a faringe, logo após o nascimento, é povoada por microrganismos patogênicos, contra os quais tem de lutar durante toda a vida.

A faringe segue-se o esôfago, canal muscular que conduz os alimentos ao estômago. Ao contrário da boca, quase não apresenta percepções sensitivas. Ainda assim, desempenha função importante e ativa no mecanismo da deglutição. São suas contraçôes musculares automáticas (movimentos peristólticos) que impelem as substâncias alimentícias para a cavidade estomacal.

Faringe: Sistema Digestivo e Respiratório

Segundo segmento do tubo digestivo, a faringe é um conduto musculomembranoso, situado atrás das fossas nasais e da cavidade bucal. As fossas nasais abrem-se nela por dois orifícios ovalares, as coavas. A cavidade bucal com ela se comunica por intermédio do istmo da garganta, que a base da língua oblitera. Inferiormente, a faringe se comunica com o esôfago e com a laringe. Vê-se, pois, que a faringe dá passagem ao ar respirado (das fossas nasais para a faringe, desta para a laringe), e ao bolo alimentar (da boca para a faringe, desta para o esôfago).

As duas vias, a respiratória e a digestiva, nela se cruzam, pois a respiratória, que é superior, se torna anterior, e a digestiva, que é inferior, se torna posterior.

O comprimento da faringe alcança 14 centímetros. A sua superfície interna é revestida por uma mucosa, cujo epitélio é, na parte superior ou nasal, igual ao da mucosa do nariz: cilíndrico, estratificado, ciliado; e, na parte inferior ou bucal, igual ao da boca: pavimentoso e estratificado.

ANATOMIA E DIVISÕES DA FARINGE

O comprimento da faringe alcança 14 centímetros. A sua superfície interna é revestida por uma mucosa, cujo epitélio é, na parte superior ou nasal, igual ao da mucosa do nariz: cilíndrico, estratificado, ciliado; e, na parte inferior ou bucal, igual ao da boca: pavimentoso e estratificado.

faringe-divisões

NASOFARINGE

Na porção superior da faringe existe um trecho denominado nasofaringe (por causa de suas relações com o nariz). As paredes da nasofaringe apresentam dois pequenos orifícios laterais, dispostos simetricamente. Essas aberturas fazem ligação da faringe com a (trompa de Eustáquio, canal que se comunica com a caixa do tímpano, no ouvido médio.

A passagem do ar da faringe para o ouvido, através da trompa de Eustáquio, permite manter o equilíbrio entre a pressão interna do ouvido e a pressão atmosférica. Quando esta última se altera rapidamente (por exemplo, quando um avião decola ou aterrissa), a diferença entre a pressão interna e a externa é bem perceptível. Se a diferença for muito acentuada, poderá causar uma leve dor nos tímpanos. Por isso, as aeromoças distribuem balas entre os passageiros, quando o avião levanta voo.

Os movimentos de deglutição da saliva forçam a abertura dos orifícios de comunicação entre a faringe e a trompa de Eustáquio. Com isso, o ar sai ou entra, conforme seja maior a pressão externa ou a interna, e o equilíbrio se restabelece.

A nasofaringe apresenta, através do nariz, comunicação com os selos paranasais que, inflamados, provocam a sinusite (de sinus, seio). Por outro lado, a comunicação com o nariz permite a introdução de sondas no estômago de um paciente, pelo nariz, sem provocar reações espasmódicas mais intensas.

OROFARINGE

A região da faringe que se comunica com a boca e com a laringe é a orofaringe. Sua parede posterior pode ser vista quando a boca está aberta. É uma região importante porque aí se concentram pequenos órgãos que bloqueiam a invasão de micróbios ao organismo. Essa defesa é exercida pelas amígdalas (ou tonsilas) palatinas, amígdalas linguais, amígdalas tubáricas e amígdalas faríngeas, todas elas interligadas por canais linfáticos, formando o grande anel linfático de Waldeyer.

E na parede posterior da orofaringe que se costuma fazer o pincelamento, às vezes necessário, para combater inflamações locais. A região é muito sensível e qualquer estimulo provoca reações reflexas, especialmente as de vômito. Os espasmos do soluço, provavelmente, também se originam desse ponto, pelo menos em parte.

A orofaringe é separada da laringe pela epiglote, cartilagem que barra a entrada de detritos nas vias respiratórias.

HIPOFARINGE

Logo abaixo da orofaringe encontra-se uma terceira secção faringiana, chamada faringe laringeana ou hipofatinge. É o trecho da faringe situado atrás da laringe, na altura da quinta e sexta vértebras do pescoço. Existem aí duas fossetas laterais, chamadas recessos piriformes.

Amígdalas – Órgãos da Faringe

Anexas à mucosa da faringe, uma de cada lado, estão as amígdalas, órgãos mais ou menos quadrangulares, de superfície irregular, e lembrando, pelo aspecto, duas amêndoas. As amígdalas, cuja função é ainda obscura, não são órgãos digestivos e aqui as mencionamos unicamente pela sua correlação topográfica.




Recomendamos: