Hipotireoidismo tem Cura? – Sintomas, Tratamentos e Causas


Os tratamentos para hipotireoidismo envolvem diversos aspectos: alimentação, suplementação, uso de medicamentos e até mesmo a adoção de algumas alternativas de tratamento. Para saber como cada um desses tratamentos funciona, confira nesse completo artigo sobre o tema.

Sintomas de hipotireoidismo

Alguns sintomas comuns são:

  • Não poder praticar atividades físicas;
  • Fadiga;
  • Sentindo frio;
  • Rugosidade;
  • Secura;
  • Crescimento Lento;
  • Puberdade Atrasada;
  • Menstruação Irregular;
  • Retenção de líquido;
  • Cólicas;
  • Fraqueza Muscular;
  • Cabelos secos;
  • Quedas de Cabelo.

Causas da doença

As causas de Hipotireoidismo são devidas da inflamação Tireoidite de Hashimoto, a doença produz anticorpos, estes que danificam a tireoide, assim, diminuindo a capacidade de criar hormônios. Em consequência o Hipotireoidismo causa uma desfunção onde produz mais hormônios do que necessário, causando diversos transtornos.

Hipotireoidismo tem cura?

Infelizmente, o hipotireoidismo não tem cura definitiva, porém o controle e acompanhamento, além de um alimentação regrada podem fazer com que o paciente leve uma vida normal

Quais alimentos evitar?

Quem sofre de hipotireoidismo deve evitar os seguintes alimentos:



  • Soja e seus derivados;
  • Doces em geral;
  • Café;
  • Alimentos feitos com farinha branca;
  • Óleos vegetais comuns: canola, milho, soja, margarina etc. O ideal é substituí-los pelo óleo de linhaça ou azeite de oliva extravirgem;
  • Repolho;
  • Brócolis;
  • Couve-de-bruxelas;
  • Couve-flor;
  • Espinafre;
  • Condimentos industrializados (maionese, ketchup, temperos industrializados etc.).

hipotireoidismo





Tratamentos para hipotireoidismo

Desde que autorizado pelo médico responsável pelo tratamento, na maioria das vezes um endocrinologista, o uso de suplementos apresenta excelentes resultados para o tratamento do hipotireoidismo, contribuindo para que a tireoide consiga aumentar a produção hormonal e aos poucos reequilibrar o organismo. Entre os suplementos mais indicados estão:

  • Iodo – no formato de comprimidos de alga marinha ou solução de Lugol (está entre os mais populares). Obs.: os suplementos de iodo devem ser ingeridos com suplementos de selênio;
  • Selênio – suplemento comercializado na forma de selenometionina;
  • Zinco – aminoácido quelato de zinco, picolinato ou glicinato.

Estes são suplementos considerados obrigatórios no que diz respeito a tratamentos para hipotireoidismo. Além deles, outros tipos podem ser de grande ajuda enquanto tratamento complementar:

  • Magnésio – preferencialmente no formato de glicinato de magnésio;
  • Vitamina D – recomenda-se ingerir comprimidos com vitamina D e também expor-se diretamente ao sol (sem proteção solar) durante 15 minutos, todos os dias;
  • Glutationa – ingerida em forma de lipossomal. Suplemento recomendado para quem sofre da doença de Graves ou Síndrome de Hashimoto;
  • Glândulas tireoidianas dissecadas – hormônios T3 e T4;
  • Vitamina C – deve ser ingerida na forma de lipossomal;
  • Vitamina A e D – oriunda de uma mistura com óleo de fígado de bacalhau fermentado e manteiga.

Obs.: com relação às dosagens ideais de cada suplemento, elas deverão ser definidas somente pelo médico, de acordo com o grau de hipotireoidismo e o quadro clínico de cada paciente.

Remédios para hipotireoidismo

Os tratamentos para hipotireoidismo envolvem uso de medicamentos que devem ser prescritos por um médico especialista. Neste caso, são prescritos hormônios sintéticos com a finalidade de repor os níveis de T3 e T4, possibilitando o reequilíbrio do organismo. Entre os nomes dos principais medicamentos prescritos para o hipotireoidismo estão:



  • Puran T4;
  • Euthyrox;
  • Tetroid;
  • Synthroid.

Todos esses medicamentos têm como princípio ativo a levotiroxina, que deve ser iniciada com dosagens baixas e aos poucos adaptadas conforme resultados apresentados nos exames médicos.

Importância da alimentação 

O hipotireoidismo muitas vezes está relacionado à disfunção do sistema imunológico ou à carência de iodo, elemento essencial para a saúde da tireoide e bons níveis dos hormônios T3 e T4.

Por essa razão, a prevenção e o tratamento do hipotireoidismo envolvem uma alimentação nutritiva que favoreça o sistema imunológico e também forneça quantidades adequadas de iodo. Entre os alimentos mais recomendados para quem sofre de hipotireoidismo estão:

  • Caldo caseiro com peixe;
  • Sal não refinado;
  • Mariscos;
  • Carnes;
  • Vísceras;
  • Ovos;
  • Leite;
  • Algas;
  • Cereais enriquecidos com vitaminas e minerais;
  • Levedura de cerveja;
  • Abacate;
  • Gengibre;
  • Pimenta caiena;
  • Laranja;
  • Couve-manteiga;
  • Aspargos;
  • Gérmen de trigo;
  • Óleo de linhaça;
  • Salmão;
  • Atum;
  • Bacalhau;
  • Cavalinha;
  • Nozes (consumo moderado);
  • Arroz integral;
  • Macarrão integral;
  • Pão integral;
  • Manteiga (não margarina);
  • Abacaxi;
  • Alcachofra.

O caldo caseiro de peixe, em especial, é um dos tratamentos mais recomendados há muitos séculos, sendo essencial no cardápio de quem sofre deste problema.

O ideal é preparar este caldo de peixe ao menos uma vez por semana.

Obs.: partes do peixe como cabeça e carcaça podem (e devem) ser aproveitadas, já que elas possuem excelentes quantidades de iodo.

Alternativas para tratar o hipotireoidismo

Antes de falarmos de algumas alternativas para o tratamento do hipotireoidismo é importante considerar que esse problema na glândula tireoide pode estar relacionado a questões emocionais, já que a tireoide está envolvida com o hipotálamo. Desse modo, estados emocionais de desequilíbrio ou episódios contínuos de estresse provocam sérias alterações no funcionamento dessa glândula.

O hipotireoidismo também tem relação com a redução da atividade da serotonina (neurotransmissor que favorece o equilíbrio do humor). Entre os sintomas mais comuns do hipotireoidismo estão:



  • Desânimo;
  • Apatia;
  • Depressão;
  • Fraqueza;
  • Problemas de memória;
  • Pele ressecada;
  • Aumento do peso;
  • Queda capilar;
  • Intestino preso.

Para ajudar nos tratamentos e contribuir para o alívio dos sintomas, algumas sugestões alternativas são:

Psicoterapia

Sessões de psicoterapia são essenciais para quem sofre de hipotireoidismo, já que por meio delas é possível identificar as causas emocionais que podem estar por trás da doença.

Aromoterapia

Para pessoas que estão passando por períodos de estresse ou se encontram com dificuldades emocionais, além da psicoterapia, outra indicação de tratamento é a aromoterapia. Durante as sessões é possível usufruir de aromas relaxantes e revigorantes, contribuindo para o reequilíbrio da mente e das emoções.

Reiki

O Reiki é uma técnica oriental que visa o reequilíbrio dos centros de força do corpo, incluindo a região da tireoide. Durante as sessões é feita imposição de mãos sobre os principais pontos energéticos do paciente, contribuindo para o equilíbrio físico, mental e emocional.

Yoga

Fazer aulas de yoga é outra excelente maneira de aprender a lidar com as emoções. Além do equilíbrio mental, os exercícios contribuem para o fortalecimento e flexibilidade do corpo, ajudando também na produção de serotonina.

Massagens relaxantes

Principalmente em períodos de grande estresse, a realização de massagens relaxantes é uma excelente alternativa para o tratamento de problemas relacionados à tireoide, aliviando alguns dos principais sintomas da doença, tais como inchaço corporal, depressão etc.

É importante frisar que essas alternativas para a doença não eliminam a necessidade de acompanhamento médico regular e de seguir à risca o uso dos remédios indicados pelo médico.

Para o acompanhamento da melhora do paciente, são solicitados exames de sangue com o objetivo de monitorar os níveis de hormônios tireoidianos.

Para que os melhores resultados quanto aos tratamentos para hipotireoidismo sejam obtidos é imprescindível que todos os fatores sejam observados: alimentação, suplementação, medicamentos e alternativas para equilíbrio mental e emocional.

Imagens: mdemulher.abril.com.br